Buscar
  • William Salles

O ERRO que DESTRÓI a produtividade do profissional de Segurança do Trabalho


Você já teve a sensação de ter trabalhado muito e ainda assim não conseguiu melhorar os resultados de segurança na sua empresa? Então estas dicas são para você!


As empresas sempre se esforçaram para produzir mais com menos recursos. Esses recursos podem ser tempo, energia, esforço, custo ou mesmo mão-de-obra. A maioria dos trabalhadores em algum momento já sentiu o impacto das mudanças feitas por uma empresa para melhorar a produtividade, geralmente sendo solicitado a fazer mais com menos.


Mas o que é produtividade e como isso se relaciona com os profissionais de segurança do trabalho?

PRODUTIVIDADE

A produtividade está relacionada aos resultados de um processo. Um exemplo disso é quando se compara o que entrou com o que saiu da linha de produção. Esta comparação pode levar em consideração, por exemplo, o quanto foi produzido em 1 hora de produção e o lucro que esta hora de produção obteve.


Essas medidas são geralmente quantitativas (números) e relativamente fáceis de medir. No entanto, outros fatores de produtividade, como inovação, trabalho em equipe e até segurança, são qualitativos e são mais difíceis de medir usando o mesmo processo de medição.


O que nos leva à seguinte pergunta: o que os profissionais de segurança do trabalho produzem?


Para os profissionais de segurança do trabalho, não existe tempo ocioso: realizar inspeções, aplicar treinamento e orientações, investigar acidentes, etc. Para cada um destes processos é necessário gastar um certo tempo para transformá-los em planilhas e relatórios. Embora ocupado, o profissional de segurança está sempre produzindo muita "papelada".


Mas será que gerar tanto "papel" significa ser produtivo?


Neste artigo deixo algumas dicas que ajudarão você, profissional de segurança do trabalho, a melhorar sua produtividade:

ANTES DE TUDO, DEFINIR BEM AS RESPONSABILIDADES


Um profissional de segurança do trabalho só pode estar em um lugar ao mesmo tempo. Portanto, não é correto acreditar que a responsabilidade por toda a segurança de uma empresa deve ser de uma pessoa ou de um departamento. Muito pelo contrário, assim como escrevi no artigo sobre o porque seu DDS será esquecido, também defendo aqui que a responsabilidade pela segurança deve “descansar” sobre os ombros daqueles que gerenciam a produção/operação.


O profissional segurança do trabalho na verdade deve ser um recurso para auxiliar no processo produtivo/operacional, fornecendo orientação, feedback, treinamento e experiência sobre as questões de segurança. À medida em que os responsáveis pelo processo produtivo/operacional da empresa se envolvem mais nos assuntos de segurança, mais o profissional de segurança do trabalho conseguirá ter condições de se dedicar para melhorar de forma exponencial a segurança dentro da organização.


Desta forma pode ser que o fardo do trabalho do profissional de segurança do trabalho consiga ser aliviado sem que seja necessário a contratação de novos profissionais. Isto de certa forma pode ser um bom argumento a ser utilizado no intuito de tentar mudar a “cultura de segurança” de sua empresa, já que contratar profissionais acima do exigido pela NR-4 não costuma ser bem visto pelas empresas.


Definir bem o papel de todos é a chave principal. Isso também deve incluir o envolvimento dos próprios funcionários em esforços de segurança, como por exemplo a realização de observações de segurança no local de trabalho, realização de treinamento de segurança, participação no comitê de segurança e participação em equipes de aprendizado. Sendo o papel do setor de segurança do trabalho, nestes casos, de avaliar a eficácia de treinamentos, avaliar a qualidade das observações de segurança no local de trabalho e acompanhar os planos de ação gerados a partir das oportunidades de melhoria de segurança identificadas.

MENOS É MAIS

É muito comum que o tempo do profissional de segurança do trabalho seja gasto para consolidar e processar dados, bem como converter esses dados em relatórios que irão atender os usuários finais, como gerentes, clientes ou a força de trabalho, sendo que geralmente, a única ferramenta disponível para fazer esse processamento é o Word e uma planilha do Excel.


Se esta é uma tarefa que ocupa tanto do tempo do profissional de segurança do trabalho, é crucial que seja investido um certo deste tempo no planejamento, garantindo que o trabalho será feito da maneira mais rápida e eficiente possível.


Para ajuda-lo nesta avaliação, deixo abaixo algumas perguntas para você responder:


  • Você pode obter relatórios em tempo real dos dados coletados?

  • O seu processo de gerar relatórios é automático ou você precisar gerar manualmente os dados?

  • O relatório de informações pode fornecer os dados em uma visão global?

  • Você consegue “filtrar” as informações coletadas, como por região, área e observador?

  • Você pode comparar seus dados de segurança, incluindo indicadores, com de outras empresas?

  • Você pode avaliar o envolvimento da liderança no processo de segurança?

  • Você pode transformar os dados levantados em ações de melhoria?

  • Os dados coletados ajudam você a prever onde a próxima lesão ocorrerá?

Se você respondeu sim para todas as perguntas, parabéns, você está no caminho correto! Agora se você respondeu não em pelo menos uma pergunta, é importante que você avalie se não existe espaço para melhorar sua produtividade.

CONCLUINDO...



Para um profissional de segurança do trabalho, a produtividade deve se concentrar nos princípios da assessoria e consultoria, sendo responsabilidade dos gestores do processo garantir que a produção/operação seja executada com segurança. O profissional de segurança do trabalho, assumir responsabilidades que não deveriam ser suas, é prejudicial tanto para ele quanto para quem realmente deveria assumir esta responsabilidade.


Mesmo sendo comum o profissional de segurança se deparar com o discurso: "não vou mudar pois é assim que sempre fizemos", é importante que aos poucos a semente seja plantada na cabeça das pessoas. Mudança de cultura é um trabalho lento, porém necessário.


Espero que estas dicas possam tornar seu programa de segurança mais eficiente e fazer com que sua rotina seja menos extenuante.


E lembre-se:


Se você está gastando muita energia para executar determinada atividade, pare e verifique se você está realmente a realizando da melhor forma e se existe uma maneira mais rápida de atingir o resultado pretendido.


“O trabalho mais árduo não necessariamente é o mais eficiente” ˜ William F. Salles


80 visualizações